Bloqueio emocional - Barreira psicológica







Bloqueio emocional  






Apatia e desolação        






Barreira psicológica que impede a clareza






Como lidar com a falta de sentimentos


Sensação de não ter sentimentos, que nada o alegra e nem
entristece. Sensação de que a vida não tem graça, não tem momentos felizes mas
também não tem tristes.
Se impressiona ao ver outras pessoas rindo de piadas, as
quais não acha graça, chega a pensar se estas pessoas não seria bobas; vê
outras pessoas se emocionando com cachorrinhos e bebes e só consegue pensar no
trabalho que eles dão; se segura para não falar o que pensa mas quando vai a um
enterro, mesmo que seja alguém da família mas lhe passa pela cabeça “antes ele
do que eu”.

Esta insensibilidade não se trata de maldade, não quer mal
as outras pessoas, mas não sente falta delas.

É possível que até sexualmente haja reflexos, de falta de
desejo e apatia.

Causado por:
Trauma – Bloqueio de memorias de situações dolorosas para
evitar novas dores, mas a memória não desaparece, apenas passa a agir de forma
inconsciente refletindo negativamente no dia a dia desta pessoa.  
Situações repetidas de abandono, rejeição, maltrato, abuso e
pode resultar em desolação e desamparo.  
Percepção distorcida de algum evento passado. Por exemplo,
uma pessoa querida falece, mas devido a imaturidade própria da idade esta pessoa
interpreta este fato como abandono.
Personalidade dependente pode apresentar características apáticas.
Transtorno psiquiátrico – como depressão ou outros.

Como identificar?
É natural do ser humano reagir ao que ocorre à sua volta. A
gente se espanta, se alegra, fica com raiva, triste, etc.
Quando estas emoções param de surgir a própria pessoa pode
se sentir estranha e algumas das mais comuns consequências podem ser: Dificuldade
em emagrecer, não ter relacionamentos satisfatórios, não engrenar na carreira,
etc.

Quando as reações adequadas são confundidas com bloquei
emocional
Em algumas situações não ajudaria em nada que a pessoa se
entregasse às suas emoções, como por exemplo, um profissional de saúde, medico,
psicólogo, enfermeiro, precisa ter o controle de suas emoções para conseguir ´restar
um atendimento de qualidade, pois o excesso de envolvimento emocional com seu
paciente poderia prejudicar suas intervenções. Por isso não é recomendado que
um profissional de saúde atenda seus familiares e amigos.
Mas vejo esta necessidade em todas as outras profissões, até
mesmo um advogado que se comova de forma extrema com o ocorrido com seu cliente
pode tomar decisões não adequadas ao caso.

Porque tratar?
Uma pessoa que sofra com este tipo de boqueio pode não ter
sensibilidade suficiente para se expressar com seus amigos, e assim, sem ao
menos perceber, perde contatos sociais.
Ao não reagir de forma adequada ao que ocorre com seus
familiares pode passar a impressão de ser uma pessoa má ou que não deseja mais
o contato com a família e assim perder o calor familiar.
Em seu trabalho, os clientes ou patrões podem interpretar
como falta de interesse pelo serviço e assim não considera-lo em promoções ou
contratações.
Com o tempo a pessoa passa a não querer participar de
eventos por medo de fazer algo embaraçoso ou por medo de ser rejeitado.
Perde a motivação, fica pessimista e sem capacidade de identificar
soluções para seus problemas.
Pode passar a ter um comportamento que se confunde com
preconceito julgando as pessoas sem mesmo conhece-las.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários são bem vindos: