Significado dos sonhos

Sonhar significa que você está reprocessando acontecimentos ocorridos, está consolidando aprendizados, buscando soluções para dificuldades encontradas no dia anterior, está realizando desejos, etc.

......................................

Inscreva-se aqui http://goo.gl/32B3B6


E-book gratuito sobre Depressão  http://materiais.marisapsicologa.com.br/ebook-depressao-algumas-informacoes-uteis-2/#nothing
E-book sobre Tratamentos psicológicos http://materiais.marisapsicologa.com.br/ebok-guia-de-tratamentos/

Equipe composta por 22 psicólogos
Para agendar consulta e obter informações referente consulta com os psicólogos da equipe.
contato@marisapsicologa.com.br
F: 11 3262-0621
WhatsApp 11 99787-4512

Página do site para informações sobre consultas ou agendar consultas com os psicólogos da equipe:
https://goo.gl/aqyxl7

Rua Bela Cintra, 968 (prox Av Paulista -  Metrôs Consolação e Paulista)
Rua Frei Caneca, 33 (Consolação, prox ao centro)

Página com os perfis dos psicólogos da equipe:  https://goo.gl/ChBh3v

Site https://goo.gl/Ws1hSU
Psicólogo online: http://www.psicologoepsicologiaonline.com.br/
Blog: http://blog.opsicologo.com.br/
Facebook https://goo.gl/zXlX3C
Instagram Psicologoemsaopaulo  https://goo.gl/CZjlZe
Twitter https://twitter.com/psicologomarisa

Este vídeo https://youtu.be/2Epe_VZTx3g

Marisa de Abreu Alves
Psicóloga CRP 06/29493

Precisam de você. Ok, mas para quê?

Uma relação de troca é ótima, mas quando apenas um "precisa" do outro precisamos observar o que está acontecendo.

Não se acostume com o que não te faz feliz (Fernando Pessoa)







Não se acostume com o que não te faz feliz (Fernando pessoa)

Coisas com a quais as
pessoas podem se acostumar apesar de não estarem felizes:
- Emprego
- Curso
- Local onde mora
- Disposição dos móveis
- Como falam contigo
- Suas atividades nas horas vagas
- Sua postura diante da vida

Porque as pessoas se
acomodam:
Medos e crenças:
- Crença de que se mudar pode se deparar com algo pior
– Crença de que nada pode ser mudado
– Crença de que será muito doloroso mudar
- Crença de ser incapaz, de não ter forças para mudar
- Crença de que será impedido por outras pessoas ao tentar
mudar

Como este acomodo
acontece
Habituação = desvanecimento da resposta ao
longo de uma estimulação monótona
Habituação - O comportamento que está sendo submetido a
uma estimulação monótona (isto é, a um estímulo que se repete a intervalos
regulares ou que é apresentado continuamente) não permanece o mesmo ao longo da
estimulação; em geral, as respostas eliciadas no fim do treino com a
estimulação são mais fracas do que aquelas eliciadas no início.
Ou seja: a
pessoa passa a pensar que “não liga mais”, quando na verdade ela desistiu de
reagir.

Estar vivo não significa ter uma vida

Já analisou se você está apenas sobrevivendo ou tendo mesmo uma vida plena?

..........................................................................


Inscreva-se aqui http://goo.gl/32B3B6


E-book gratuito sobre Depressão  http://materiais.marisapsicologa.com.br/ebook-depressao-algumas-informacoes-uteis-2/#nothing
E-book sobre Tratamentos psicológicos http://materiais.marisapsicologa.com.br/ebok-guia-de-tratamentos/

Equipe composta por 22 psicólogos
Para agendar consulta e obter informações referente consulta com os psicólogos da equipe.
contato@marisapsicologa.com.br
F: 11 3262-0621
WhatsApp 11 99787-4512

Página do site para informações sobre consultas ou agendar consultas com os psicólogos da equipe:
https://goo.gl/aqyxl7

Rua Bela Cintra, 968 (prox Av Paulista -  Metrôs Consolação e Paulista)
Rua Frei Caneca, 33 (Consolação, prox ao centro)

Página com os perfis dos psicólogos da equipe:  https://goo.gl/ChBh3v

Site https://goo.gl/Ws1hSU
Psicólogo online: http://www.psicologoepsicologiaonline.com.br/
Blog: http://blog.opsicologo.com.br/
Facebook https://goo.gl/zXlX3C
Instagram Psicologoemsaopaulo  https://goo.gl/CZjlZe
Twitter https://twitter.com/psicologomarisa

Este vídeo https://youtu.be/W_YOyqYWD1Q

Marisa de Abreu Alves
Psicóloga CRP 06/29493

Não há lugar para tristeza ou ansiedade Será?

Medicação vem sendo usada como forma de evitar contato com angustias e tristezas normais. Uma conversa e análise mais aprofundada pode ajudar a evitar remédios desnecessários e incrementar a elaboração interna dos problemas.

Qual a referência para determinar seu valor como pessoa

Briga entre irmãos






https://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/noticias/redacao/2017/08/06/irmaos-em-guerra-saiba-como-reduzir-as-brigas-e-mediar-os-conflitos.htm

Dra Adriana Severine cede entrevista ao UOL e fala sobre irmãos que brigam e discutem:



Patrícia Guimarães
Colaboração para o UOL, em São Paulo
06/08/2017 04h00
"Eles brigam o tempo inteiro. Não podem ficar um ao lado do outro". É assim que a educadora física Priscila Ferrer define a convivência entre os filhos, Arthur, 5, e Sofia, 8. A mãe é chamada porque os dois querem deitar no mesmo sofá; porque um pegou o controle da televisão sem a permissão do outro; porque querem se sentar perto do mesmo amiguinho; pelo lugar do carro; ou seja, por tudo. Algumas vezes a confusão deixa de ser apenas uma discussão e os dois se agridem, de fato.
Essa situação que se repete todos os dias na casa de Priscila é comum em muitas famílias. A questão é, por que as crianças continuam brigando por mais que os pais façam de tudo para evitar que isso aconteça?
Por que irmãos brigam?
Para a psicóloga especializada em atendimento de crianças e adultos Adriana Severine, as brigas ocorrem por disputa de espaço. "Eles querem ter a prioridade no carinho dos pais e aí a prioridade vale para tudo. Algo como se fosse 'eu sou mais especial porque eu vou tomar banho primeiro'. Porque quem pode mais, na cabecinha deles, é aquele que é mais amado. Então eles estão disputando o lugar deles frente às pessoas que eles amam."
Além dessas, existem outras explicações para os conflitos. "Essa disputa é puramente emocional. Ele ocorre, independentemente da faixa etária, quando a pessoa se sente ameaçada na suas capacidades, nas suas habilidades ou quando perde um pouco a noção de quem é em relação ao outro. Brigar e discutir é quase um comportamento compensatório", explica a psicóloga clínica e psicopedagoga Marisa Irene Siqueira Castanho.
O conflito entre irmãos é normal e pode ir até a fase da adolescência. É nessa fase que eles costumam ficar mais rebeldes e contestar mais as posições da família para testar os limites de cada um e de buscar também autorreconhecimento. Até lá, é necessário ficar atento aos motivos pelos quais as brigas ocorrem e mediar as confusões.
Como mediar ou reduzir os conflitos?
A primeira coisa a ser feita é entender os motivos da briga. Para isso, é importante observar os filhos. "Os pais têm de ter muito clara noção de justiça. E, talvez na hora da confusão, tende-se a querer superar pela ameaça, pelo castigo. Isso não vai resolver. Na mediação da disputa entre as crianças não deve ter essa de que o mais velho tem de entender o mais novo. A justiça é aquela em que se é capaz de compreender, independentemente da idade, quem é que está certo e quem está errado. Sempre tem um 'start' na situação. E quem fez isso não vai admitir nunca. E aí os pais têm que ser neutros", explica Castanho.
Quando o conflito já está instalado a melhor opção é observar até o momento em que se percebe que as crianças não terão capacidade de entrar em acordo. Quando a discussão evoluir para agressão, os pais devem interferir usado o senso de justiça e sempre dando explicações. "No momento da confusão é preciso que os pais tenham a clareza de, por exemplo, dizer 'não se pega a força. Deve-se pedir emprestado'. Claro que o outro vai dizer que não. Mas aí o adulto interfere também", ensina Castanho.
Severine, no entanto, ressalta que essa intervenção deve ser feita em momentos oportunos. "Se os pais interferirem sempre, as crianças não vão ter mais a capacidade de encerrar problema algum."
Outra dica valiosa é criar, com as crianças, combinados que previnam as confusões. Para situações em que todos queiram ir na janela do carro, por exemplo, deve-se acordar que um irá na ida e o outro, na volta. O mesmo vale para disputas de lugar no sofá ou sentados à mesa. Os pais devem estar sempre atentos para que os combinados não sejam descumpridos; pois assim estariam incentivando uma falta de reconhecimento do espaço de cada um.
"As coisas devem ser sempre determinadas de acordo com o que é lugar de cada um; a função e o espaço de cada um no intuito de diminuir as brigas. Mas nunca impedir. Porque faz parte do crescimento. Se você acaba não deixando a criança resolver as coisas dela por conta própria, você vai gerar um adulto incapaz de tomar iniciativas ou solucionar problemas", finaliza Severine.

  https://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/noticias/redacao/2017/08/06/irmaos-em-guerra-saiba-como-reduzir-as-brigas-e-mediar-os-conflitos.htm

Adriana  Moreira dos S. Severine  
Psicóloga  CRP 06/121052
Bela Cintra, 968 
(próx. Av Paulista)  



Grosseria como sinal de incompetência emocional

Guilherme Pereira Affonso Psicólogo






Meu nome é Guilherme Pereira Affonso estou inscrito no CRP desde Março de 2014 sob o número 06/119277, me graduei em psicologia na FMU e me pós- graduei em Neuropsicologia pelo Instituto de Neurologia do Hospital das Clínicas de São Paulo.


Graduação em psicologia, com pós-graduação em neuropsicologia, atendo como psicoterapeuta seguindo a linha da Terapia Cognitivo Comportamental.
Presto atendimento a jovens, adultos e idosos que estejam passando por dificuldades emocionais ou de ajustamento como: ansiedade, insônia, stress, depressão, síndrome do pânico, fobias (medo de avião, elevador, dirigir, escada rolante e outros), timidez, dificuldades de relacionamento, ciúme excessivo e baixa autoestima.

Possuo larga experiência com idosos e seus familiares, atuando no apoio e treinamento de cuidadores familiares que estejam apresentando dificuldades em lidar com o adoecimento do ente querido e dos possíveis sintomas cognitivos e comportamentais apresentados por eles.

O envelhecimento é um fenômeno complexo que compreende o ser humano de forma integral, desde seu nascimento até sua morte, portanto na história individual de cada um de nós podem acontecer eventos, em determinadas fases da vida, com os quais não conseguimos lidar sozinhos, alguns exemplos são: vestibular, entrada na faculdade ou mercado de trabalho, casamento, maternidade, aposentadoria e adoecimento ou falecimento dos pais, quando estivermos com dificuldades em enfrentar qualquer problema sozinhos, é importante que tenhamos a consciência de que podemos pedir ajuda.

Dentre as experiências que tive o privilégio de ter estão o atendimento de adolescentes em plantão psicológico, atuar como professor do curso de formação de cuidadores da Cruz Vermelha Brasileira, o desenvolvimento de cursos de estimulação cognitiva para idosos como Curso de Memória e Neuróbica e palestras sobre diversos temas relacionados a psicologia.

 Muito obrigado




Informações e valores com psicoterapeuta

Escolha seu psicólogo

Agende sua consulta com psicólogo